Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Revista Ferroviária



« Voltar
   

Inaugurada a Linha 13-Jade da CPTM

02/04/2018 - Revista Ferroviária

A CPTM inaugurou na manhã de sábado (31 de março) a Linha 13-Jade e abriu assim uma perspectiva de mobilidade mais ágil do Centro de São Paulo ao Aeroporto Internacional de Guarulhos. Após anos de promessas políticas, o projeto de ligação ferroviária foi concretizado, com investimento total de R$ 2,3 bilhões.
“Estamos unindo o sistema de trem da CPTM com o Metrô e o Aeroporto. É uma grande conquista para a qualidade de vida para população e um estímulo fundamental para o desenvolvimento não só das duas cidades envolvidas diretamente, mas também do Brasil. E a história de que o trem sairia antes é fake news, pois a licitação é que conta e isso ocorreu há pouco tempo”, afirmou o governador Geraldo Alckmin.
A Linha 13-Jade compreende três estações: Engenheiro Goulart, na Zona Leste de São Paulo, Cecap e Aeroporto, em Guarulhos. A última dispõe de uma passarela para o Terminal 1, onde ocorrem partidas e chegadas das companhias aéreas Azul e Passaredo. A extensão de vias férreas de 12,2 quilômetros passa por sobre as rodovias Presidente Dutra, Ayrton Senna e Helio Smidt, além dos Rios Tietê e Baquirivú-Guaçú. As obras incluem um viaduto estaiado, bicicletários e passarelas que levam a outras modalidades de transporte, como os serviços de ônibus e táxis.
O início da operação da Linha 13-Jade se dá com composições da série 9.500 da Hyundai-Rotem. Elas fazem parte do lote de 65 trens novos comprados recentemente pela CPTM. As unidades possuem salão contínuo (passagem livre entre os carros), monitoramento com câmeras na parte externa e interna e são acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida ou com deficiência. Há ainda monitores digitais internos com noticiário, anúncios e prestação de serviços.
A partir de 2019, os trens serão substituídos pela frota permanente da Linha-13: serão oito composições que, além da tecnologia citada acima, irão dispor de bagageiros para malas maiores dos passageiros. Esses trens estão sendo fabricados pelo consórcio Temoinsa Sifang. No primeiro mês de atividade, a Linha 13-Jade funcionará nos moldes da operação assistida, com intervalos de 30 minutos, aos sábados e domingos, das 10h às 15h. O percurso será feito em 15 minutos entre as três estações o usuário poderá fazer baldeação para a Linha 12-Safira.
No segundo mês, a operação ocorrerá no mesmo horário, ampliada para todos os dias na semana. O formato visa à segurança dos passageiros – é neste período que o comportamento dos equipamentos e sistemas novos são avaliados para as devidas correções. Até esta fase, a tarifa não será cobrada. A partir do terceiro mês, a operação será das 4h à meia-noite. Também funcionará o Connect, com trens que sairão da Estação Brás – região comercial de forte apelo em São Paulo - até a Estação Aeroporto, nos horários de pico (das 5h às 9h e das 16h às 20h), sem a necessidade de baldeação. O percurso terá duração de cerca de 35 minutos, com o trem parando em todas estações para embarque e desembarque. O valor da tarifa será o mesmo do trem metropolitano: R$ 4.
Depois do quarto mês, entrará em operação o serviço Airport-Express, que levará os usuários diretamente, sem parada para embarque e desembarque, da Estação Aeroporto até a Estação da Luz – no Centro de São Paulo -, com transferência para outras linhas da CPTM e do Metrô. O percurso será realizado em cerca de 35 minutos e os trens partirão em quatro horários programados nos dois sentidos. O valor da tarifa ainda será definido.
Da Luz até o Aeroporto, a viagem de carro pode levar em média de 40 minutos até 1h30, neste caso, se houver congestionamento. Por isso o Governo do Estado entende que o novo serviço será muito útil tanto aos guarulhenses que precisam ir e vir a São Paulo, como aos executivos e turistas, entre outros, que precisam do aeroporto. A expectativa da CPTM é de 120 mil usuários/dia na Linha 13-Jade. 
Para chegar aos Terminais aéreos 2 e 3, o público terá seis ônibus gratuitos à disposição, a partir da interligação da Estação Aeroporto com o Terminal 1. O intervalo entre um coletivo e o outro será inicialmente de 15 minutos, mas essa operação acompanhará a demanda de viagens da CPTM e do próprio aeroporto, segundo a Gru Airpoirt, concessionária do Aeroporto de Guarulhos. Ainda de acordo com a Gru Airport, do Terminal 1 para o 2 a viagem de ônibus está estimada em 9 minutos. Do Terminal 1 para o 3 (de voos internacionais), o deslocamento levará 14 minutos, já considerando semáforos, lombadas e desembarques. Não está prevista a cobrança de tarifa. A maior distância entre os terminais é de aproximadamente 500 metros.  
Em nota, a Gru Airpoirt informa que a falta de uma conexão direta do serviço da CPTM com os Terminais 2 e 3 atende obrigações contratuais e obras previstas no Plano de Gestão da Infraestrutura do Aeroporto Internacional de São Paulo, aprovado em 2013, momento em que se definiu a concessão do espaço à iniciativa privada. Por ora, a construção de um shopping na área de acesso aos Terminais 2 e 3 do Aeroporto, pela Rodovia Helio Smidt, e que por consequência teria barrado as passarelas adicionais de deslocamento para os trens, não é confirmada pela Gru Airpoirt.


ALENTO À CIDADE-DORMITÓRIO


A linha férrea para passageiros volta a Guarulhos após 53 anos.  Antes, o chamado Trem da Cantareira serviu à cidade até o Tucuruvi, na Zona Norte de São Paulo. Ele foi eternizado pela canção “Trem das Onze”, letra de Adoniran Barbosa e sucesso de público e crítica com o grupo de samba Demônios da Garoa.
A Linha 13- Jade é um alento para o segundo município mais populoso do Estado, com 1,4 milhão de habitantes. Dada a necessidade histórica de trabalho de parte de seus moradores na capital paulista, a alcunha cidade-dormitório sempre esteve atrelada a Guarulhos, mesmo com o desenvolvimento econômico dos últimos anos. Ocorre que o uso de ônibus e carros para o deslocamento desse público a São Paulo está saturado há décadas.
Nos últimos 17 anos, os guarulhenses se acostumaram com propostas e dúvidas da volta do trem e da chegada do metrô à cidade. Agora, enfim, há uma nova alternativa para essa população sair mais tarde e chegar mais cedo em casa.
“O povo da nossa cidade já falava nesse tema como uma lenda. Agora temos projetado e orçado pelo Governo do Estado a extensão para mais quatro bairros no futuro”, salientou o prefeito Gustavo Henrich Costa, o Guti.




Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter


Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, domingo, 21 de outubro de 2018
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária