Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Imprensa



« Voltar
   

Obra da Linha 3 do VLT do Rio está parada

14/04/2018 - G1

As obras da Linha 3 do VLT, que ligará a Central do Brasil ao Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, estão paradas. A construção começou em janeiro e deveria ficar pronta no fim do ano. No entanto, o canteiro está vazio, sem operários nem máquinas.

Segundo a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto, órgão da prefeitura responsável pela gestão do Porto Maravilha, as obras estão paradas desde 4 de janeiro devido a exigências legais com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Segundo a CDURP, durante as escavações foram encontrados trilhos antigos, que o Iphan está analisando. Enquanto não houve permissão do órgão federal, não é possível retomar a construção.

O VLT, que deveria facilitar o deslocamento das pessoas, está atrapalhando o trânsito e a passagem dos pedestres. As obras da Linha 3 interditaram dois quarteirões e desviaram 11 linhas de ônibus. Quem trabalha e passa pela região reclama do abandono que prejudica o trânsito e o comércio local.

A concessionária VLT Carioca, responsável pela obra, afirmou que está em contato com os órgãos de patrimônio e infraestrutura do município para retomar os trabalhos. Garantiu, no entanto, que o cronograma está mantido e a linha será concluída ainda este ano.

 

- Fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/obra-da-linha-3-do-vlt-do-rio-esta-abandonada.ghtml




Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter

 Notícias Relacionadas
Nova versão do edital de obras do VLT mantém trajeto, estações e prazos
Concessionária de trens do Rio deve instalar câmeras nas estações, decide TJ-RJ
VLT começa a funcionar em Teresina e fará 10 viagens por dia entre Dirceu e Centro



Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, terça-feira, 17 de julho de 2018
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária