Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Imprensa



« Voltar
   

Após obra do VLT consumir mais de R$ 1 bilhão e não ficar pronta, grama é plantada no lugar dos trilhos em MT

08/08/2018 - G1

Os canteiros das avenidas de Cuiabá e Várzea Grande, na região metropolitana, por onde deveriam passar os vagões do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) estão ganhando grama. A obra do metrô consumiu R$ 1,066 milhão e a está parada desde dezembro de 2014. A obra era prevista para a Copa do Mundo no Brasil, da qual Cuiabá foi uma das subsedes.

O projeto para a continuidade da obra está passando por análise, antes de ser realizada uma nova licitação para a conclusão do projeto de mobilidade urbana, segundo o governo do estado.

A população, sem entender direito o que está acontecendo, não gostou de ver grama no lugar dos trilhos.

"Não somos vacas, nem bois, não vamos pastar isso", declarou a vendedora Geralda Aparecida da Costa.

Para o estudante Pedro Rodrigues, o dinheiro poderia ser aplicado de outra forma, já que, se a obra for retomada, a grama terá de ser retirada.

"É muito triste isso, porque o dinheiro poderia ser utilizado para moradia do pessoal que dorme no aeroporto", disse, ao ver o plantio de grama na Avenida João Ponce de Arruda, em frente ao Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande.

O projeto do VLT foi orçado em aproximadamente R$ 1,4 bilhão. Mas o valor total deve ficar bem além disso, já que R$ 1 milhão foi gasto e o governo solicitou empréstimo de R$ 800 milhões para terminar a obra, que está parada desde dezembro de 2014.

O contrato com o consórcio VLT foi rescindido após um processo administrativo aberto pelo governo do estado para apurar quebra contratual.

Agora, o governo deve discutir a abertura de uma nova licitação para a conclusão das obras. Os valores do novo orçamento estão sendo calculados por uma comissão formada por membros da Procuradoria Geral, Secretaria de Cidades e Controladoria Geral do Estado.

Conforme a Prefeitura de Cuiabá, mais de 400 palmeiras imperiais devem ser plantadas com o objetivo de amenizar a situação das vias devido à obras paralisadas para implantação do VLT, como na Avenida Tenente Coronel Duarte, a Prainha.

A revitalização consiste em obras de paisagismo e jardinagem com o plantio de algumas palmeiras e espécies nativas que suportem o calor da região.

 

Fonte: https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2018/08/08/apos-obra-do-vlt-consumir-mais-de-r-1-bilhao-e-nao-ficar-pronta-grama-e-plantada-no-lugar-dos-trilhos-em-mt.ghtml




Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter


Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, quinta-feira, 16 de agosto de 2018
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária