Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Revista Ferroviária



« Voltar
   

Antiga Fábrica Nacional de Vagões completa 75 anos

22/10/2018 - Revista Ferroviária

A antiga Fábrica Nacional de Vagões (FNV) – hoje Greenbrier Maxion e AmstedMaxion – completa 75 anos hoje. Primeira no Brasil dedicada à produção do material rodante, foi criada em 22 de outubro de 1943 por Getulio Vargas, em meio à Segunda Guerra Mundial, quando as importações de vagões vindas dos EUA ficaram comprometidas. De lá para cá, a fábrica, transferida para Cruzeiro (SP) em 1945 (sua primeira sede foi no Rio de Janeiro), se transformou, acompanhando de perto as mudanças, crises e retomadas pelas quais as ferrovias no Brasil passaram ao longo de quase um século.

 

“Chegar aos 75 anos não é fácil para nenhuma empresa do mundo. Tem que persistir”, ressalta o presidente da Greenbrier Maxion, Eduardo Scolari. O executivo destaca as mudanças societárias que ocorreram ao longo das décadas e aponta um dado que comprova a liderança da fábrica no setor: “Em 75 anos, a fábrica produziu 63 mil vagões, o que corresponde a mais de 50% da frota que hoje opera nas malhas brasileiras (121 mil vagões, segundo o levantamento feito pela RF este ano). Em 2017, a Greenbrier Maxion entregou 71% dos 2.878 vagões produzidos no ano para Rumo, MRS, VLI e Vale. O restante foi fabricado pela única concorrente brasileira hoje no segmento, a Randon.

 

Em relação ao próximos anos, Scolari é categórico ao apoiar a renovação antecipada dos contratos de concessão. Para o executivo, o volume previsto de investimentos com a renovação dos contratos é imprescindível para a evolução do setor. De acordo com a ANTF, a estimativa é que as concessionárias invistam cerca de R$ 25 bilhões ao longo da vigência dos novos contratos. Boa parte desse volume seria aplicado na renovação da frota de vagões e locomotivas.

 

A reforma e substituição de material rodante também ganhariam espaço, segundo a avaliação de Scolari. A Greenbrier Maxion estima que 61 mil vagões da frota brasileira  apresentam design obsoleto e 32,5 mil estão sucateados e precisam ser substituídos. “Pós-renovação de contratos, a expectativa é que a partir de 2020, até 2025, 19 mil novos vagões sejam encomendados pelas operadoras”, prevê o executivo.

 

Na edição Setembro-Outubro, a RF vai trazer uma matéria especial sobre os 75 anos da antiga Fábrica Nacional de Vagões. Não deixe de conferir!

 



Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter

 Notícias Relacionadas
Randon inicia este mês produção de vagões para cargas a granel
Bombardier fabrica vagões intermediários para o Metrô Leve de Frankfurt
Siderea comemora 50 anos com projeto de implantar fábrica no Brasil



Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, segunda-feira, 12 de novembro de 2018
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária