Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Imprensa



« Voltar
   

PPI vai incluir trem de São Paulo

29/03/2017 - Estadão

O governo federal decidiu incluir o projeto do trem de média velocidade de São Paulo no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), que centraliza os projetos prioritários da área de concessão. Com a medida, o projeto paulista avaliado em cerca de US$ 5 bilhões passa a contar com a possibilidade de ser financiado pelo BNDES. A previsão é de que o trecho que ligaria Brasília a Goiânia também entre na lista de prioridades do PPI.

Outra decisão do Palácio do Planalto foi a de aprovar a liberação da “faixa de domínio” das atuais ferrovias que operam entre São Paulo, Campinas e Americana, para que o novo projeto paulista seja construído ao lado das malhas de cargas que já existem na região e que, atualmente, são operadas pelas empresas Rumo ALL e MRS.

“Com isso, estamos dando um passo efetivo para viabilizar esses projetos e atrair investidores”, disse o deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), que participou ontem de encontro no Planalto. O compromisso foi firmado, segundo Macris, pelo presidente Michel Temer, em reunião que também contou com a participação do ministro dos Transportes, Maurício Quintella. “O presidente foi firme em sua colocação de que os projetos serão incluídos no programa e que terão acesso à faixa de domínio.”

Participaram ainda o secretário de coordenação de projetos do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), Tarcísio Gomes de Freitas, o diretor-geral da Agência Nacional de Trans- portes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, o secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Clodoaldo Pelissioni, e o presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, deputado Cauê Macris (PSDB).

Segundo o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o projeto dependia apenas dessas confirmações do governo para que a oferta de parceria público-privada (PPP) do empreendimento seja apresentada ao mercado.

O governo paulista pretende incluir na licitação do trem de média velocidade o trecho 7 da CPTM, que seria incorporado ao projeto “para ajudar no funding” da proposta comercial. O traçado de 135 km ligaria São Paulo, Jundiaí, Campinas e Americana. O governo paulista não descarta ainda a possibilidade de a PPP ter contrapartidas financeiras da União, reunindo governos federal e estadual e a iniciativa privada.

MP. A permissão para atuar nas faixas de domínio das atuais concessionárias deverá ser incluída na Medida Provisória 752, que trata da renovação das concessões de ferrovias federais. O governo paulista quer contar com o traçado porque ficaria isento de custos com desapropriações, além de ter facilidade de fazer o licenciamento ambiental da área. Extensão

O projeto tem sido assessorado por técnicos do Banco Mundial. Trens de velocidade são aqueles que fazem viagem de até 200 km por hora, em média. O traçado pretendido pelo projeto é o mesmo que estava inserido no plano do trem de alta velocidade, que era defendido pelo governo Dilma.

No caso do projeto entre Brasília e Goiânia, a viagem teria 210 km. A ANTT deve apresentar em breve um Procedimento de Manifestação de Interesse, para testar o apetite do mercado pelo projeto. O custo total do projeto, uma viagem que duraria cerca de 1h30, está estimado em US$ 8,5 bilhões – ou US$ 40 milhões por quilômetro.



Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do site Revista Ferroviária.

 Notícias Relacionadas
Operação da PF deixa BNDES na berlinda
Presidente do BNDES mantém serenidade em relação aos rumos da economia
Empréstimos do BNDES têm queda de 19% no ano



Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, segunda-feira, 22 de maio de 2017
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária