Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Imprensa



« Voltar
   

Divergência sobre mudança de rumo no BNDES faz diretores se demitirem

07/07/2017 - Folha de São Paulo

Divergências com o novo presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Paulo Rabello de Castro, em relação a mudanças na taxa de juros de longo prazo levaram dois diretores do banco a pedir demissão nesta sexta (7).

Nomeados pela antecessora de Rabello, Maria Silvia Bastos Marques, Cláudio Coutinho e Vinícius Carrasco ajudaram a desenhar o plano de substituição da TJLP por uma taxa mais aderente ao mercado e decidiram sair após declarações de Rabello de Castro questionando a mudança.

"Gerou desconforto quando a gente viu que de certa forma o presidente não concorda com o que está posto", disse à Folha Coutinho, que ocupava a diretoria de Crédito.

A nova política, definida por medida provisória editada pelo governo antes da chegada de Rabello, prevê a implantação da Taxa de Longo Prazo (TLP), que ao final de um período de transição, será corrigida de acordo com os juros dos títulos do Tesouro NTN-B. O objetivo do governo é reduzir o volume de crédito subsidiado na economia.

Em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo", Rabello de Castro disse que a TLP reduz a previsibilidade dos tomadores de financiamento do banco, que, "em um momento agudo [de alta de juros] podem não resistir".

O executivo foi indicado pelo presidente Michel Temer para o cargo em maio, após Maria Silvia pedir demissão alegando "razões pessoais".

Carrasco ocupava a diretoria de Planejamento. Na noite de quinta-feira (6), defendeu a TLP argumentando que ela "permitirá menores taxas de juros para todos, aumento de produtividade, melhoras distributivas e transparência na concessão de subsídios".

De acordo com a proposta, durante um período de transição de cinco anos, a TLP seria corrigida pelo IPCA mais o rendimento do NTN-B. Depois disso, passará a ser idêntica aos juros pagos pelo NTN-B.

A equipe econômica de Temer trabalha para aprovar a mudança, mas enfrenta resistência de setores do meio empresarial, que temem o aumento do custo dos empréstimos do BNDES e pressionam o relator da medida provisória no Congresso, deputado Betinho Gomes (PSDB-PE).

Com o objetivo de ouvir as partes interessadas, Gomes agendou audiências públicas sobre o tema, uma delas na sede do BNDES. Ele espera ter um parecer em 1º de agosto.

O BNDES não se pronunciou sobre o tema. Até a última atualização desta reportagem, não haviam sido escolhidos os substitutos de Carrasco e Coutinho.



Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do site Revista Ferroviária.

 Notícias Relacionadas
BNDES lança guia sobre mobilidade urbana
BNDES reduz taxas de financiamento com nova política operacional
BNDES deve liberar recurso para obra da Linha Leste até março



Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, quinta-feira, 21 de junho de 2018
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária