Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Imprensa



« Voltar
   

Compra do TCP pela China Merchants está quase fechada e inclui minoritário

28/08/2017 - Valor Econômico

As negociações da venda do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), no Paraná, para a gigante de operações portuárias China Merchants avançaram e o negócio pode ser fechado nesta semana, apurou o Valor. A transação envolve a venda do controle, detido pelo fundo americano de private equity Advent, com 50%, e também a alienação de parte das ações de alguns dos sócios minoritários. O valor da operação vai depender de qual fatia será alienada. Essa participação foi tema de diversas reuniões nos últimos dias, envolvendo executivos e um batalhão de advogados.

Além do Advent, são acionistas do TCP a empresa APM Terminals - outra grande operadora de terminais portuários e concorrente em âmbito mundial da China Merchants -, o espanhol Nogar e os grupos locais Pattac Participações, Tuc e Soifer. Segundo pessoas a par da transação, além do Advent, alguns minoritários devem se desfazer de ações. Pelo menos um deles já havia aderido à proposta.

O TCP é um dos maiores e mais eficientes terminais de contêineres do país. Um - mas não o único - aspecto para a venda, que ocorre desde 2016, ter demorado tanto tempo foi o preço "mal calibrado" do ativo, apurou o Valor. O vendedor queria mais do que o mercado estava disposto a pagar pelo terminal, que registrou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 296 milhões em 2016. BTG Pactual e Morgan Stanley foram contratados pelo TCP para cuidar da venda.

O valor sugerido pelo ativo foi de R$ 3,7 bilhões a R$ 5 bilhões, o que significa um múltiplo entre 12,5 vezes e 17 vezes o Ebitda de 2016 - muito acima do padrão mundial para portos, que é de 10 vezes. Quando o Advent comprou a participação em 2011 pagou R$ 650 milhões, o equivalente a 10 vezes o Ebitda do exercício anterior.

Especialistas, contudo, acreditam que estará embutido no preço final da transação um "prêmio" pelo pedágio da barreira de entrada - será o primeiro terminal do conglomerado asiático no Brasil.

A China Merchants desenvolve, investe e opera dezenas de terminais no mundo, a maior parte na China. Em 2016 registrou receita de 44,22 bilhões dólares de Hong Kong, o equivalente a R$ 19,8 bilhões. É a quinta maior operadora de portos em quantidade de contêiner movimentado, considerando terminais próprios e onde possui participação. Está atrás da PSA International, da Hutchison, da DP World (que assumiu o Embraport, em Santos, e chegou a negociar o TCP, mas desistiu da compra) e da APM Terminals.

Dependendo do timing do fechamento do negócio, ele pode ser anunciado na missão do presidente Michel Temer à China.

Além de ser o único terminal de contêineres do Paraná, o TCP conseguiu a renovação antecipada do contrato de arrendamento - que terminaria em 2024 - por mais 25 anos. Assinada em abril de 2016, a prorrogação ampliou o interesse de empresas no ativo. Como contrapartida, o TCP terá de fazer uma série de obras que irão expandir a capacidade anual de movimentação de atuais 1,5 milhão de Teus (unidade de contêineres de 20 pés) para 2,5 milhões de Teus.

O plano de investimentos é de R$ 1,1 bilhão e será realizado em fases. Na primeira etapa do projeto, cuja previsão original é estar concluída até o fim de 2018, serão investidos R$ 540 milhões. Os desembolsos incluem a expansão do cais em 220 metros, para 1.099 metros de extensão; a construção de píer exclusivo para a atracação de navios dedicados ao transporte de veículos; e a ampliação da retroárea dos atuais 320 mil metros quadrados para 500 mil metros quadrados.

Para financiar o investimento, em novembro a empresa captou R$ 588 milhões em debêntures (títulos de dívida) - R$ 48 milhões mais que o necessário.

Uma segunda fase da obra prevê investimentos de R$ 550 milhões ao longo do tempo do contrato de arrendamento, que vai até 2048. Procurados, Advent e TCP não se manifestaram.



Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do site Revista Ferroviária.

 Notícias Relacionadas
Capital estrangeiro ganha espaço em infraestrutura
China Port paga R$ 2,9 bilhões por 90% da TCP e chega ao Brasil
Gigante chinesa está próxima de fechar compra de fatia do TCP por US$ 1 bi



Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, sábado, 25 de novembro de 2017
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária