Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Imprensa



« Voltar
   

Vale altera boletim de voto a distância para assembleia de 18 de outubro

27/09/2017 - Isto é

A Vale enviou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) alterações no boletim de voto a distância para a assembleia de acionistas em que serão eleitos dois conselheiros de administração independentes, marcada para 18 de outubro. Como antecipou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, o fundo Geração Futuro L. Par recorreu ao órgão regulador do mercado de capitais pedindo a correção do documento.

A Geração Futuro e outros 12 acionistas minoritários indicaram à eleição majoritária – em que só votam detentores de ações ordinárias, inclusive controladores – os nomes de Ricardo Reisen, como titular, e de Marcio Guedes, como suplente. Na eleição em separado – sem participação ou influência do controlador – vão concorrer com seu apoio o advogado Marcelo Gasparino, tendo como suplente Bruno Bastit. Eles disputam com as especialistas em governança corporativa Isabella Saboia e Sandra Guerra, indicadas pela gestora de recursos britânica Aberdeen Asset Management.

O fundo reclamava que, da maneira como havia sido divulgado, o boletim poderia induzir os investidores em erro. Apesar da indicação específica para o processo em separado, o nome de Gasparino acabou entrando no boletim de voto também como candidato à eleição majoritária. Os acionistas que indicaram Reisen e Gasparino também queriam que o modelo de procuração previsto no manual da assembleia e o boletim de voto viessem com o mesmo padrão, com a inclusão da lista de três candidatos à eleição majoritária – Sandra, Isabella e Reisen – em uma mesma cédula, excluindo Gasparino. Eles criticavam o fato de o boletim trazer duas cédulas no sistema de eleição majoritária: uma com Isabella e Reisen; outra com Sandra e Gasparino.

A Vale realizou as alterações, com o nome de Gasparino sendo destacado apenas para a eleição em separado. Os nomes dos candidatos Sandra, Isabella e Ricardo Reisen foram unificados em uma mesma cédula, com a possibilidade de preencherem duas vagas caso não haja eleição em separado. Essa hipótese é contestada pela Geração Futuro e outros minoritários, que entendem que, quando o Estatuto Social prevê a eleição em separado, como é o caso da Vale, este assento é reservado aos preferencialistas e aos minoritários ordinaristas. Ou seja, na falta de quórum para esse modelo de eleição, a cadeira deve ficar vazia.



Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do site Revista Ferroviária.

 Notícias Relacionadas
Vale tem volume recorde de vendas no 1º trimestre
Trinta vagões de trem da Vale descarrilam na Estrada de Ferro Carajás, no Pará
Vale contrata técnicos, mecânico, eletricista, auxiliar, operador, engenheiro e analistas



Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, domingo, 22 de abril de 2018
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária