Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Imprensa



« Voltar
   

Rumo Malha Paulista é incluída em lista suja do trabalho escravo

11/04/2018 - Valor Econômico

A Rumo Malha Paulista, controlada da Rumo Logística, foi um dos 37 empregadores incluídos na terça-feira na chamada “lista suja do trabalho escravo”, divulgada pelo Ministério do Trabalho. A inclusão da companhia está ligada a um caso de 2010, envolvendo a ALL Malha Paulista, adquirida pela Rumo em 2014.

Na ocasião, o Ministério Público do Trabalho (MPT) recebeu denúncia anônima que relatava trabalhadores em condições análogas à escravidão em alojamento da companhia em Embu-Guaçú (SP), para a obra da Estação Ferraz. Foram resgatados pelo MPT 51 trabalhadores. Em 2015, a ALL foi condenada ao pagamento de R$ 15 milhões após ação civil pública movida pelo MPT.

A Rumo contesta a inclusão da empresa na lista e afirmou em nota que irá recorrer “por ser totalmente equivocada”. Segundo a empresa, a inclusão é indevida, pois estão pendentes no Ministério do Trabalho os recursos apresentados pela antiga ALL contra os autos de infração “irregularmente lavrados em seu nome”. A companhia diz que os autos lavrados em 2010, cinco anos antes da fusão ainda estão sendo debatidos entre Justiça e ministério.

A Rumo também nega responsabilidade pelo ocorrido, uma vez que aconteceram em obra contratada pela ALL e de responsabilidade da Prumo Engenharia. “Não bastasse, certo é o fato de que a prestadora de serviços – Prumo Engenharia – assumiu integralmente a responsabilidade pela condição dos trabalhadores, tendo inclusive comparecido perante a Superintendência Regional do Trabalho em 2010 e assumido todos os ônus decorrentes da suposta contratação irregular de mão de obra, tendo sido homologadas as rescisões de contratos com a anuência do Ministério do Trabalho, sem qualquer interferência da antiga ALL”, informa a nota da Rumo.

A empresa alega ainda que a justiça penal já considerou inexistentes no caso concreto os requisitos para a configuração do ilícito de trabalho escravo. “A Rumo se valerá de todos os mecanismos processuais e legais existentes para demonstrar que a ação é absolutamente nula, devendo o seu nome ser prontamente excluído da lista, bem como para demonstrar que não houve prática de irregularidade trabalhista que possa lhe ser imputada”, completa o comunicado da Rumo, que afirma repudiar qualquer prática contrária aos direitos trabalhistas.

 

- Fonte: http://www.valor.com.br/empresas/5444821/rumo-malha-paulista-e-incluida-em-lista-suja-do-trabalho-escravo


 



Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do site Revista Ferroviária.

 Notícias Relacionadas
Vale abre vagas de trabalho em mina de carvão em Moçambique
Rumo quebra recordes históricos de transporte de cargas em junho
Rumo aumenta em 17% o volume transportado de combustíveis em junho na Malha Norte



Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, domingo, 15 de julho de 2018
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária