Login

 Cadastre-se
 
Siga a RF

 Notícias da Imprensa



« Voltar
   

Vale destrava aporte de US$ 1,7 bilhão no Canadá

12/06/2018 - Estadão

A Vale fechou contratos de venda antecipada de cobalto, com entrega a partir de 1.º de janeiro de 2021, que vão permitir destravar investimentos de US$ 1,7 bilhão para a expansão da mina de Voisey’s Bay, no Canadá, informou ontem a mineradora.

O projeto – o primeiro anúncio de investimento significativo da empresa nos últimos anos – vai estender a vida da mina canadense, liberando acesso da Vale a reservas de níquel, cobre e cobalto.

Localizado em Labrador, o projeto é considerado importante porque reforça a posição da mineradora no que tem sido considerado a nova fronteira dos metais, por serem cruciais na produção de baterias para os carros elétricos.

Os acordos, fechados em separado com a Wheaton Precious Metals Corp (Wheaton) e Cobalt 27 Capital Corp, preveem um pagamento antecipado de US$ 690 milhões à Vale e vão ajudar a companhia a financiar a expansão, que será feita por meio da montagem de uma mina subterrânea.

Ainda estão previstos no acordo pagamentos adicionais de 20%, em média, dos preços de cobalto vigentes no momento da entrega do produto.

Segundo a mineradora, a transação de venda antecipada da commodity melhora o retorno financeiro sobre o capital investido no projeto para mais de 35% ao ano, considerando o consenso de mercado dos preços.

“O projeto está, portanto, alinhado com o rigoroso processo de alocação de capital da Vale, no qual projetos devem ser capazes de gerar retornos aos preços atuais de mercado, em vez de depender de expectativas de aumentos futuros de preços”, disse a empresa em comunicado.

O pagamento antecipado será feito integralmente na conclusão da transação, com US$ 390 milhões a serem pagos pela Wheaton e US$ 300 milhões pela

 

Retorno

 

A transação antecipada do cobalto melhora o retorno financeiro sobre o capital investido no projeto para mais de 35% ao ano, segundo calcula a Vale. Cobalt 27, e equivale a 40% do investimento do projeto.

Transição. O complexo começou a funcionar em 2005, e, desde então, já gerou cerca de US$ 15 bilhões.

A expansão da vida da mina vai aumentar, em média, as produções anuais estimadas em aproximadamente 45 mil toneladas de níquel, 20 mil toneladas de cobre e 2,6 mil toneladas de cobalto.

A Vale adicionou que, para uma transição suave da operação com lavra a céu aberto para a subterrânea, a produção de níquel da mina de Voisey’s Bay será mantida em 38 mil toneladas por ano de 2018 a 2020, atingindo entre 45 mil e 50 mil toneladas por ano de níquel contido no concentrado a partir de 2024.

 

- Fonte: https://digital.estadao.com.br/o-estado-de-s-paulo/20180612




Para comentar ou arquivar notícia faça seu login no topo da página.


« Voltar


Receba nossa newsletter
As notícias veiculadas acima, na forma de clipping, são acompanhadas dos respectivos créditos quanto ao veículo e ao autor, não sendo de responsabilidade do site Revista Ferroviária.

 Notícias Relacionadas
Um esforço que vale a pena
Eliezer Batista, "o construtor da Vale", morre aos 94 anos
MRS aposta no Vale para alavancar trem



Quem somos  |  Fale Conosco  |  Links  |  Galeria de Fotos  |  Memória Ferroviária  |  Mapa do site
Sistema de gerenciamento de conteúdo
São Paulo, quarta-feira, 20 de junho de 2018
Todos os direitos reservados - © Revista Ferroviária