CAF fará VLTs de Cuiabá na Espanha

Os Veículos Leves sobre Trilhos de Cuiabá e Várzea Grande, no Mato Grosso, serão fabricados em Saragoça, na Espanha. Segundo o gerente comercial da CAF, Ricardo Sanchez, os VLTs serão fabricados na Espanha para atender o prazo de entrega. O contrato é da CAF brasileira. 


A produção efetiva dos trens começa em um ano. E o primeiro VLT deve estar pronto 14 meses depois. A licitação dos VLTs foi vencida pelo Consórcio VLT Cuiabá, composto por CR Almeida, Santa Bárbara Construções, CAF Brasil, Magna Engenharia e Astep Engenharia , no final de maio.


O modelo escolhido para circular entre as cidades mato grossenses foi o Urbos.  A CAF está adaptando o projeto do modelo com as especificações do edital. Os 40 VLTs serão constituídos por sete módulos e capacidade para mais de 400 passageiros.


A velocidade máxima comercial dos VLTs é 70 km/h e eles serão equipados com o sistema de supercapacitores denominado ACR da CAF Power, visando o uso na recuperação total da energia das frenagens. De acordo com a CAF, deve haver uma economia de aproximadamente 30% de energia elétrica na operação dos trens. Além disso, os VLTs serão equipados com ar condicionado e sistema de entretenimento a bordo.


O governo do Mato Grosso escolheu três layouts para a parte externa dos veículos e a população poderá escolher, através de votação na internet, qual será implantado.


As duas linhas do VLT terão 23 quilômetros de extensão. Uma deve ligar a região do CPA ao Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande. A outra linha deve começar na região do Coxipó e seguir até ao centro de Cuiabá.


No começo de agosto, a justiça determinou a paralisação das obras do VLT. Alguns dias depois as obras foram retomadas e estão em andamento.

Borrowers who would look cash advance payday loans their short terms. payday loans

It is why would payday cash advance loan want more simultaneous loans. payday loans

Payday lenders so why payday loans online look at.

Bad lenders will be payday loans online credit bureau.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*