Presidente da EPL defende conexão Brasil-Pacífico

O presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, defendeu na última sexta-feira (7) que os países do Mercosul façam a conexão dos oceanos Atlântico e Pacífico, por meio da implementação de infraestrutura de transporte entre o Brasil e os países com saída para o Pacífico. Figueiredo deu as declarações durante o 1º Fórum Empresarial do Mercosul.


“Falta para a América do Sul ter uma visão mais ousada de futuro. O Brasil está fazendo um programa agressivo para construir uma rede portuária da Amazônia ao Rio Grande do Sul. Acho que a gente precisa olhar também para o [Oceano] Pacífico. Temos uma ferrovia que sai do Brasil, passa na Bolívia, vai até a Argentina e aos portos do Chile. Mas é antiga, pouco competitiva. Temos que olhar essa ligação pelos países entre os oceanos Atlântico e o Pacífico”, disse.


Segundo Figueiredo, os países do Mercosul também precisam uniformizar os sistemas de transporte e as regras para movimentação de pessoas e mercadorias. Ele citou como exemplo as ferrovias, que no Brasil têm bitolas diferentes das usadas na Argentina e no Uruguai.


O empresário Renato Casali Pavan, presidente da Macrologística do Brasil, que também participou das discussões sobre infraestrutura e transporte, declarou que para promover a integração é necessário discutir um projeto econômico determinando o quanto cada país se compromete a investir em infraestrutura de transportes.


A questão, no entanto, não é consenso entre os representantes de outros países da América Latina. A presidenta do Instituto Nacional de Logística do Uruguai, Beatriz Tabacco, destacou a diferença de dimensões entre o seu país e o Brasil. “Dá um pouco de medo quando falam em quanto vai investir cada país, pois o Uruguai é menor em tamanho e não poderia investir”, disse.


O Mercosul é formado por Brasil, Argentina, Uruguai, Venezuela e Paraguai – que está suspenso do bloco até abril de 2013. O Chile, Equador, a Colômbia, o Peru e a Bolívia estão no grupo como países associados. Há, ainda, como membros observadores, o México e a Nova Zelândia.

Borrowers who would look cash advance payday loans their short terms. payday loans

It is why would payday cash advance loan want more simultaneous loans. payday loans

Payday lenders so why payday loans online look at.

Bad lenders will be payday loans online credit bureau.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*