Estações da linha 5 do metrô de São Paulo vão atrasar mais

O governador Geraldo Alckmin disse nesta segunda-feira que as obras da linha 5 – lilás, do metrô de São Paulo vão atrasar mais um ano.

A inauguração completa da linha estava prevista para 2017. Com o adiamento, o prazo foi estendido para o primeiro semestre de 2018.

A expansão da Linha 5-Lilás custa ao governo de São Paulo R$ 8,9 bilhões. A previsão é de que a linha atenderá cerca de 780 mil passageiros por dia.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Alckmin culpou a “questão do meio ambiente, desapropriações e interferências”.
O governador disse ainda que espera que as estações Alto da Boa Visa, Borba Gato e Brooklin sejam entregues no primeiro semestre de 2017, outras seis estações no segundo semestre do mesmo ano e que apenas a última ficará para 2018.

Atrasos

A linha 4 – amarela também está com as obras bem atrasadas. As estações Vila Sônia e Morumbi, que tinham prazo de entrega para 2017, só devem ser abertas ao público em 2018.

Segundo Alckmin, a empresa responsável pelo consórcio, Isolux Córsan-Corviam, será multada e terá até abril para retomar as obras das estações Oscar Freire e Higienópolis-Mackenzie, paradas há cerca de seis meses. As estações Vila Sônia e Morumbi serão licitadas.

Além das linhas 5 e 4, o monotrilho da linha 15-prata também está atrasado.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*