Lula reclama de ausência de prefeito e do governador de SP em anúncio de expansão do Metrô

Valor Econômico – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou neste sábado da ausência do prefeito (Ricardo Nunes/MDB) e do governador de São Paulo (Tarcísio de Freitas/Republicanos) em evento organizado pelo governo federal na capital paulista para anunciar, entre outras coisas, a expansão da Linha 5 Lilás do Metrô da cidade.

“Eu ia assinar o contrato da Estação do Metrô para chegar aqui, mas o prefeito, que nos deu o terreno, não veio, e o governador [não veio]. Então, a Caixa Econômica Federal e o ministro das Cidades resolveram não assinar, porque é importante a gente fazer isso junto com o governador e o prefeito”, disse Lula, em evento agora à tarde no bairro Jardim Ângela.

“Para nós, quando a gente quer fazer investimento, a gente não se preocupa de que partido é o governador, a gente se preocupa se o povo daquele Estado e daquela cidade precisa. É por isso que trazer o metrô para cá é uma necessidade de dar conforto a vocês”, completou o presidente.

Antes da fala de Lula, o ministro das Cidades, Jader Filho, anunciou a extensão da Linha 5-Lilás do Metrô da cidade de São Paulo. Segundo ele, serão construídos 4,3 quilômetros, com estação em Jardim Ângela e Comendador Sant’Anna. O investimento será de R$ 1,7 bilhão, via PAC Seleções, e o financiamento será do BNDES.

O evento contou com a participação de diversos políticos ligados ao PT e a São Paulo. Entre eles, o deputado federal e pré-candidato à prefeitura Guilherme Boulos (Psol) e Marta Suplicy (PT), pré-candidata a vice na chapa de Boulos e ex-prefeita da capital paulista.

Boulos teve seu nome gritado durante fala do presidente Lula, que brincou: “eu não posso falar o nome do Boulos porque eu já fui multado uma vez que eu falei o nome dele”. Lula e o deputado federal foram condenados pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo por propaganda eleitoral antecipada no ato do dia 1º de Maio. Na ocasião, o presidente pediu votos a Boulos, o que ainda não é permitido fazer pela Justiça Eleitoral.

No evento em Jardim Ângela, Boulos também discursou, enaltecendo o trabalho de Lula para a região. “Zona Sul só tem a ganhar com o presidente Lula lá em Brasília”, disse o deputado federal. Além da extensão da linha do metrô, o governo federal anunciou a expansão do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), que ganhará 12 novos campus, um sendo em Jardim Ângela.

“Essa conquista é um orgulho para nós, é expressão que o pobre, a periferia voltou a ser enxergada e ser prioridade no orçamento lá em Brasília”, afirmou Boulos.

As demais unidades do IFSP serão em Cidade Tiradentes e nos municípios paulistas de: Osasco; Santos; Diadema; Ribeirão Preto; Sumaré; Franco da Rocha; Cotia; Carapicuíba; São Vicente; e Mauá. Cada unidade tem investimento estimado de R$ 25 milhões, sendo R$ 15 milhões para infraestrutura e R$ 10 milhões para aquisição de equipamentos e mobiliário. Cada campus terá capacidade de atender, em média, 1.400 estudantes, majoritariamente em cursos técnicos integrados ao ensino médio.

Lula voltou a repetir que a ampliação dos institutos de educação é investimento, não gasto. “As pessoas falam: ‘Lula, você está gastando muito em universidade, instituto’. Eu não estou gastando nada, estou investindo na juventude desse país, no futuro desse país, eu sei o quanto é importante um menino, uma menina ter formação”, declarou o presidente.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Carlos Antônio Veira, prometeu erguer um centro cultural do banco dentro do futuro campus do IFSP.

Fonte: https://valor.globo.com/politica/noticia/2024/06/29/lula-reclama-de-ausncia-de-prefeito-e-do-governador-de-sp-em-anncio-de-expanso-do-metr.ghtml

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*