Governo federal tem interesse em ferrovia

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, assegurou à administração estadual de Mato Grosso do Sul o interesse do Governo federal em desenvolver o projeto de ferrovias que liga Maracaju a Engenheiro Bley, no Paraná, para encurtar a distância de acesso ao Porto de Paranaguá. “Ontem (anteontem), tive o telefonema da ministra Dilma Rousseff. Ela citou que o projeto das ferrovias está sendo avaliado pelo Governo federal e serão chamados técnicos de Mato Grosso do Sul e Paraná para que estudemos a ferrovia”, informou o governador André Puccinelli.


De acordo com o governador, a intenção defendida por diversas vezes pelo Estado é garantir o roteiro de trem de Maracaju, Dourados, Mundo Novo, Guaíra, Cascavel, Guarapuava e Presidente Bley. Com anotações em pedaço de papel, Puccinelli leu o caminho que vem sendo planejado pelo Governo federal. “A ministra falou: Engenheiro Bley, no Paraná, Guarapuava, Cascavel, Ponta Porã, Argentina e Mejillones no Chile”, disse.


Com o anúncio da ministra para André, há perspectivas de adesão do Paraná na construção desse novo trecho ferroviário. “Nós estamos naquele trabalho amplo e finalmente Paraná se engajou nas ferrovias”, afirmou Puccinelli.


Segundo o governador, essas obras necessitariam de R$ 800 milhões para o trecho de 510 km. “Projeto para dois, três, quatro anos para se concretizar”, enfatizou.


Antes do encerramento das atividades no Congresso Nacional, o senador Valter Pereira (PMDB) propôs emenda ao PPA (Plano Plurianual) do Governo federal, aprovada pela Comissão de Serviços de Infra-Estrutura do Senado, destinando R$ 1,3 bilhão à construção da ferrovia de Cascavel (PR) a Maracaju (MS).


Economia – Na economia do País, segundo o governador, as obras ferroviárias seriam estratégicas para o escoamento de grãos, que atualmente é feito por Paranaguá pelo acesso rodoviário. “São quatro milhões de toneladas indo pelo Atlântico. O projeto de ir pelo Paranaguá à Argentina, pelo Pacífico”, explicou.


Com esse empreendimento, de acordo com o governador, Mato Grosso do Sul – localizado no epicentro da comunidade sul-americana- será o centro do Mercosul. “Em três, oito ou 15 anos, nós vamos nos transformar no entreposto, o epicentro do Mercosul”, ressaltou.


Integração – De acordo com noticiários nacionais, a Ferroeste projeta integração regional e internacional pelas ferrovias. O trecho em questão envolve os projetos ferroviários do Paraná, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. Um conjunto de trechos, denominado Corredor Oeste, ligando por ferrovia Maracaju-Dourados-Mundo Novo-Guaíra-Cascavel-Guarapuava-Curitiba-Paranaguá.


A Ferroeste também vem atuando numa frente ferroviária internacional para a interligação ferroviária do Brasil com Paraguai, Argentina, Uruguai e Chile. Nesse trecho até a fronteira seria o Corredor Ferroviário Bioceânico Paranaguá/Pontal do Paraná – Antofagasta – Mejillones del Sur (Chile).

Borrowers who would look cash advance payday loans their short terms. payday loans

It is why would payday cash advance loan want more simultaneous loans. payday loans

Payday lenders so why payday loans online look at.

Bad lenders will be payday loans online credit bureau.
Fonte: Correio do Estado (MS)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*