Lucro da Vale será recorde novamente

Os investidores têm uma expectativa otimista sobre os resultados de 2007 que a Vale do Rio Doce irá divulgar na quinta-feira à noite. A previsão de analistas com base nas normas contabéis do US GAAP é de que o lucro da companhia fique entre US$ 11,2 bilhões e US$ 12 bilhões, batendo seu próprio recorde. Em 2006, o lucro da mineradora brasileira foi de US$ 6,5 bilhões.


As projeções para o fluxo de caixa descontado (lajida) vão de US$ 15,6 bilhões a US$ 17 bilhões, ante US$ 9,1 bilhões no ano anterior. Para a receita da mineradora, que já computou o ano inteiro de vendas da ValeInco (atividades da canadense Inco que foram incorporadas), as estimativas apontam valores entre US$ 32,1 bilhões e US$ 33 bilhões, um crescimento de mais de 60%. Segundo cálculos da Paraty Investimentos, o minério respondeu em 2007 por 48% do lajida da Vale e o níquel, por 35%. O minério de ferro foi responsável por 46,5% do faturamento e o níquel, por 32%.


Os analistas atribuem o bom desempenho ao aumento da produção e das vendas de minério e commodities metálicas, num cenário de demanda superaquecida. Em 2007, a produção de minério de ferro da Vale alcançou 296 milhões de toneladas, crescendo 12% – ficou ligeiramente abaixo das 300 milhões de toneladas previstas. A produção de níquel atingiu o recorde de 247,9 mil toneladas, ante 234,7 mil toneladas em 2006, com forte contribuição da integração entre a Vale e a Inco, adquirida em outubro de 2006.


Para 2008, as estimativas preliminares de lucro dos analistas são de US$ 15,7 bilhões a US$ 17,4 bilhões, já incluídos no cálculo o aumento de 65% e 71% do preço do minério de ferro. O número não computa a potencial aquisição da mineradora Xstrata. Se a compra for bem-sucedida, a nova megamineradora poderá ter sua receita ampliada, pelo aumento dos ativos. Em compensação, a Vale teria de absorver a dívida da Xstrata (de US$ 10 bilhões ) e os US$ 50 bilhões que pretende tomar dos bancos para comprar a empresa. A dívida da Vale deve ter fechado em 2007 em US$ 14 bilhões.


Até o momento prosseguem as negociações entre a Vale e a Xstrata. Há uma queda-de-braço em relação ao preço a ser pago pela anglo-suíça. Os últimos indicativos são de uma uma oferta da Vale de 45 libras por ação da Xstrata, correspondente a US$ 85 bilhões. Uma proposta deste tipo implicaria uma emissão de ações preferenciais da Vale de cerca de US$ 35 bilhões – os papéis seriam usados para pagar parte da aquisição. Estas ações não teriam direito a “tag along”. A Vale tem até 21 de março para fazer sua oferta.


Nos cálculos de especialistas, caso entre um novo comprador na disputa, o patamar máximo que a mineradora brasileira poderia arriscar para comprar a Xstrata seria uma oferta de 49 libras por ação ou US$ 95 bilhões. Nesse nível, a companhia já passaria a correr o risco de perder seu grau de investimento. Aos olhos das agências de classificação de risco, a situação financeira da Vale poderia melhorar se ela vendesse alguns ativos da anglo-suíça. Cogita-se que essa poderia vir a ser uma exigência de órgãos europeus da concorrência, por causa de temores de que a empresa brasileira se tornasse concentradora nos mercados de níquel e cobre.


Na sexta-feira, a Vale deve anunciar junto com o governo a construção de uma siderúrgica no Pará, em parceria com o BNDES e um sócio estratégico (um operador siderúrgico). Os nomes mais cotados para a sociedade são os da siderúrgica indiana Tata Steel, que teve contatos recentes com a mineradora brasileira, e o da coreana Posco, que chegou a se interessar pelo projeto engavetado da usina de aço do Maranhão.


O projeto da usina paraense prevê uma produção entre 2,5 milhões e 5 milhões de toneladas de placas de aço para exportação. Vale e BNDES seriam sócios minoritários. O projeto vem ao encontro do pleito de políticos locais , que há vários anos reclamam que a Vale apenas retira minério do Pará, sem acrescentar valor aos seus investimentos na regi

Borrowers who would look cash advance payday loans their short terms. payday loans

It is why would payday cash advance loan want more simultaneous loans. payday loans

Payday lenders so why payday loans online look at.

Bad lenders will be payday loans online credit bureau.
Fonte: Valor Econômico

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*