Tegram reduzirá custo de exportação de grãos

A falta de infraestrutura portuária nas regiões Norte e Nordeste impõe um alto ônus ao agronegócio brasileiro. Atualmente, o custo logístico total para exportação de uma tonelada de soja que sai de uma fazenda em Balsas, principal município produtor de grãos no Sul do Estado do Maranhão, até o porto de Santos (SP) é de cerca de US$ 140 por tonelada.


Se a mesma carga fosse exportada hoje pelo porto do Itaqui (MA), o valor cairia quase 18%, para US$ 115 a tonelada.


De acordo com a Confederação Nacional da Agricultura (CNA), cerca de 52% da produção nacional de soja e milho de 2011 – que foi de 131 milhões de toneladas – teve como origem o eixo Norte do país, mas apenas 14% desse volume deixou o país via portos das regiões Norte e Nordeste (que compreende o porto de Porto Velho, em Rondônia, até o Itaqui).


Assim, atualmente quase 86% da produção brasileira de soja e de milho é exportada via os portos de Santos, Paranaguá (PR) e São Francisco do Sul (SC). De acordo com o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Luiz Carlos Fossati, a estimativa é que o Tegram atraia aproximadamente 30% desse mercado, quando totalmente em operação, com capacidade para 10 milhões de toneladas de grãos.


Além de estratégico para a região em que está, o Tegram será beneficiado pela entrada em operação da Ferrovia Norte-Sul, de Palmas (TO) até Açailândia (MA), que captará sobretudo cargas do Centro-Oeste.

Borrowers who would look cash advance payday loans their short terms. payday loans

It is why would payday cash advance loan want more simultaneous loans. payday loans

Payday lenders so why payday loans online look at.

Bad lenders will be payday loans online credit bureau.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*