MT terá mais uma ferrovia, ao custo de R$ 2,3 bilhões

O edital para as obras da Fico (Ferrovia de Integração do Centro-Oeste), do trecho de 1.000 quilômetros que ligará o município de Lucas do Rio Verde (354 km ao Norte de Cuiabá) a Campinorte (GO), será lançado em maio de 2013.


O anúncio foi feito pelo presidente EPL (Empresa de Planejamento e Logística), Bernardo Figueiredo.


A EPL é a estatal do Governo Federal, criada em agosto deste ano e que será responsável por acompanhar as obras e programar os investimentos em logística de transporte em todo o país.
A empresa que vencer a licitação terá um prazo de 5 anos para construir a ferrovia e outros 30 anos para explorar o trecho.


O custo estimado do investimento é de R$ 4 bilhões. O projeto básico e os estudos de viabilidade do trecho já estão prontos.


De acordo com o vereador por Cuiabá, Francisco Vuolo, que acompanha a articulação para implantação das ferrovias no Estado, nenhum grupo empresarial demonstrou interesse no projeto ainda, mas, com o novo marco regulatório do setor, não devem faltar interessados.


“A princípio, a Fico seria construída pela Valec (estatal do Governo Federal que implanta ferrovias). Mas, houve a mudança no marco regulatório, e o Governo decidiu passar as obras para a iniciativa privada. Com as novas regras, esse investimento fica muito mais atrativo para as empresas”, afirmou Vuolo.


Pelas novas regras, o Governo firmou o compromisso de subsidiar o valor de até 85% da carga prevista no estudo de viabilidade, dando aos investidores a segurança de que o investimento terá retorno garantido.


“Essa jogada foi muito inteligente. O valor que o Governo teria que desembolsar construindo a ferrovia será usado para subsidiar a carga, caso seja necessário. E, se a carga prevista for atingida, o Governo nem vai precisar desembolsar”, observou o parlamentar.


Outra mudança foi com relação ao modelo de exploração da estrada de ferro. Elas passarão a funcionar como as rodovias privatizadas, em que basta pagar um pedágio para utilizar os trilhos.
“Assim, qualquer empresa pode montar seus vagões e colocar uma locomotiva no trecho para transportar carga, bastando para isso seguir as regras do setor e pagar o pedágio à concessionária”, explicou Vuolo.


A Fico será uma das primeiras ferrovias do país a seguir o novo marco regulatório. A pioneira será a Fiol (Ferrovia de Integração Oeste-Leste), na Bahia, que já está em obras.


Fico


A Fico integrará Mato Grosso, Goiás e Rondônia e facilitará no escoamento da produção de grãos do Estado.


A ferrovia tem início no entroncamento com a Ferrovia Norte-Sul, no município de Campinorte, em Goiás, corta o Estado de Mato Grosso de Leste a Oeste, a partir da região Médio-Norte, e está projetada para chegar até Vilhena, no Estado de  Rondônia.


No trecho entre Lucas do Rio Verde e Vilhena deve ser investido o total de R$ 2,3 bilhões, em 598 quilômetros de trilhos, a serem implantados na segunda etapa da ferrovia.


A Fico faz parte de um projeto maior, que é a Ferrovia Transcontinental (EF-3540), que sairá do litoral norte do Rio de Janeiro, cortando Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Acre, indo até o Peru.

Borrowers who would look cash advance payday loans their short terms. payday loans

It is why would payday cash advance loan want more simultaneous loans. payday loans

Payday lenders so why payday loans online look at.

Bad lenders will be payday loans online credit bureau.
Fonte: Secom-MT

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*