Expansão do metrô da capital está estagnada, diz Zema

O governador Romeu Zema participou ontem da VII Conferência Metropolitana da RMBH, na Cidade Administrativa. Com o tema “Metrópoles inteligentes, cidades inovadoras”, a conferência é promovida pela Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (ARMBH).

De acordo com o governador, é fundamental que a mobilidade urbana seja debatida e melhorada. “Eu ando constantemente na cidade de carro e percebo quanto é difícil, como se perde tempo, andando em Belo Horizonte. É importantíssimo que venhamos aqui discutir o assunto”, comentou.

Romeu Zema lembrou da visita que fez, na semana passada, à sede da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), na Capital. “Há 30 anos uma região metropolitana tão expressiva não recebe investimentos na área. Eu que morei em São Paulo, e que volto lá constantemente, percebo que nesse período, a capital paulista recebeu 20 ou 30 novas estações de metrô. Rio de Janeiro, a mesma coisa, vários investimentos. E Belo Horizonte está estagnada nesta questão”, lembrou.

No entanto, Romeu Zema afirmou aos participantes da conferência que a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) já sinalizou que Minas Gerais tem tudo para receber do governo federal uma compensação da VLI – concessionária ferroviária que explora parte da malha no Estado -, no valor de R$ 1,2 bilhão, que seria um passo importante para viabilizar a linha Calafate-Barreiro.

Ambiente favorável – Já o secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico, Adriano Magalhães, destacou a necessidade de se criar um ambiente favorável aos investimentos para poder viabilizar as cidades inteligentes. “Se queremos olhar para o futuro, é preciso que tenhamos um ambiente favorável. Por isso, nós vamos lançar, no dia 4 de dezembro, o programa ‘Minas Livre para Crescer’, que é um momento importante para discutirmos a regulamentação em todas as áreas para melhorar o ambiente de investimento no Estado”, disse.

Diálogo – Para a diretora-geral da ARMBH, Mila Costa, o evento foi um momento de compartilhamento, aprendizado e de diálogo dos gestores públicos com a sociedade civil. “É um momento de apresentação de propostas, de reflexão sobre o tema metropolitano, sobre o papel da agência e sobre o arranjo metropolitano. “Tivemos oportunidades de criar propostas que realmente serão efetivadas”, afirmou.

Mila Costa explicou que o plano diretor da RMBH é um grande desafio que a agência tem que enfrentar neste momento. “O governador vai encaminhar à Assembleia um projeto de lei contemplando nosso PPDI. E este tema será resgatado a partir da recomposição do conselho metropolitano. “Nós somos a terceira maior região metropolitana do país. A primeira fora do eixo Rio-São Paulo. Cerca de 40% do PIB de Minas está centralizada na Grande BH”, lembrou.

No evento, Mila apresentou ações que estão sendo desenvolvidas nesta gestão pela Agência Metropolitana. Uma delas, por exemplo, é a criação de um Escritório de Mobilidade em parceria com a Seinfra, que foi anunciada durante a cerimônia. Ainda durante a conferência, foram eleitos os novos membros do Conselho Deliberativo da Agência.
Também participaram da solenidade o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Germano Vieira; o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Marco Aurélio Barcelos; o procurador de Justiça João Medeiros Silva Neto, representando o procurador-geral de Justiça do Estado, Antônio Sérgio Tonet; a secretária-adjunta de Planejamento e Gestão, Luisa Barreto; o presidente da Assembleia Metropolitana e prefeito de São Joaquim de Bicas, Guto Resende; o presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte e prefeito de Nova Lima, Vitor Penido; entre outras autoridades. (Agência Minas)

INICIATIVA VAI APRIMORAR SOLUÇÕES DE TRANSPORTE

A Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) agora conta com uma estrutura integrada para tratar dos assuntos relacionados à mobilidade para a RMBH e viabilizar soluções mais eficientes. O anúncio do Escritório de Mobilidade, parceria entre a Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (ARMBH) e a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), foi feito ontem, durante a VII Conferência Metropolitana da RMBH, na Cidade Administrativa.

A iniciativa inédita objetiva o aprimoramento de soluções de transporte, por meio, por exemplo, de intenso monitoramento dos instrumentos de planejamento de mobilidade do Estado, da proposição de soluções técnicas, atualização de bancos de dados georreferenciados, entre outras ações.

O escritório ficará lotado na Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade, com equipe técnica que se dedicará aos temas – composta por servidores tanto da ARMBH quanto da Seinfra – e estrutura física específica.

“Vamos alinhar os nossos esforços no que tange ao planejamento da mobilidade. A Agência vai trazer as demandas dos municípios da RMBH para os projetos de infraestrutura do estado. Buscamos esse alinhamento há muito tempo e é a primeira vez que vamos conseguir de fato viabilizá-lo”, comemora o gerente de Planejamento Metropolitano da ARMBH, Charliston Moreira, que chefiará o Escritório de Mobilidade.

Entre os projetos que já estão em pauta estão, por exemplo, a Matriz Origem-Destino de Pessoas 2020, o Plano de Mobilidade para a RMBH, o Plano Estratégico Ferroviário (PEF), projetos que envolvem o Rodoanel de Belo Horizonte e o metrô, entre outros. “O Escritório complementará o trabalho desenvolvido pela estrutura já existente, tanto na gestão quanto no planejamento, nos dois órgãos”, acrescenta Moreira.

“A consolidação desta parceria entre a Seinfra e a ARMBH, tenho certeza, trará muito frutos e será mais um canal para ouvirmos sociedade civil, universidades, especialistas e o próprio governo e encontrarmos caminhos mais viáveis e eficientes”, afirma a diretora-geral da ARMBH, Mila Costa.

O secretário de Infraestrutura e Mobilidade, Marco Aurélio Barcelos, ressalta a importância de se criar uma estrutura específica para tratar dos assuntos de mobilidade metropolitanos. “Com o escritório, vamos priorizar projetos estratégicos e aprimorar soluções integradas de transportes, estimulando o desenvolvimento econômico não só da RMBH, mas de todo o Estado. O escritório é mais um fruto da constatação de que sem um planejamento, não iremos longe”, destaca. (Agência Minas)

Fonte: https://diariodocomercio.com.br/negocios/expansao-do-metro-da-capital-esta-estagnada-diz-zema/

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*