Shortlines – complemento necessário à expansão das ferrovias

HENRIQUE JOSÉ BONETI
Engenheiro, sócio-gerente da Consultora SSBB, consultor técnico da Revista Ferroviária e coordenador pedagógico do curso de pós-graduação em engenharia metroferroviária do Instituto Mauá de Tecnologia/Cepefer

Após a sanção do “Staggers Rail Act”, a partir de 1980 e de acordo com a American Short Line and Regional Railroad Association-ASLRRA as shortlines – SL americanas, que já existiam desde o século XIX, floresceram com a redestinação dos ativos descartados pelas ferrovias Classe I, quando passaram inicialmente a operar 12.800 km (1980) chegando, nos dias atuais a 76.000 km, equivalentes a mais de 50% da rede americana.

Você precisa ser assinante da Revista Ferroviária para ler este conteúdo. Por favor, faça o seu . Não é assinante? Assine aqui

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*