O VLT na reorganização das cidades

AYRTON CAMARGO E SILVA
Presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas, diretor de Planejamento de Transportes da Aeamesp e integrante da equipe técnica do Metrô de São Paulo. É arquiteto e urbanista.

O Brasil é hoje um país urbano, com mais de 85% da população residindo em cidades. São elas que abrigam a base da produção industrial, ensino, pesquisa e inovação, além de atividades de serviços, cada vez mais essenciais, sofisticados e dinâmicos.

Esse quadro impressiona, sobretudo quando se estabelecem correlações entre a sua produtividade e o estado crônico dos congestionamentos e ineficiências viárias. Horas perdidas no trânsito, desperdício de combustível, aumento das emissões de poluentes, riscos de acidentes, são fatores que causam impactos econômicos e deseconomias para toda a sociedade, comprometendo investimentos e reduzindo a inserção do Brasil nas cadeias mundiais de economias eficientes e competitivas.

Você precisa ser assinante da Revista Ferroviária para ler este conteúdo. Por favor, faça o seu . Não é assinante? Assine aqui

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*