Wabtec atinge a marca de 500 locomotivas AC44 produzidas no Brasil

A Wabtec Corporation celebrou ontem (segunda, dia 12) a marca de 500 locomotivas do modelo AC44 produzidas em solo brasileiro, na fábrica de Contagem, Minas Gerais. O evento contou com a presença do Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, de representantes do MInfra, do governo de Minas, prefeitura de Contagem, Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) e Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), além das operadoras de carga.  

“Estamos colocando o Brasil nos trilhos. E isso representa mais ferrovias, mais locomotivas e mais empregos. Nesse dia em que comemoramos a 500ª AC44, tenho que agradecer cada funcionário e todos que fizeram esse número uma realidade. Agradecer por acreditarem no Brasil”, disse o ministro.  

Com quase 200 toneladas e 5 metros de altura, as locomotivas de modelo AC44, que começaram a ser produzidas no Brasil em 2008, são equipadas com motor a diesel e com  potência de 4400HP. Além de baixo teor de emissão de CO2 e controle de tração por eixo que permite o transporte de cargas mais pesadas, diz a Wabtec em nota.  

“A introdução da tecnologia de corrente alternada no Brasil foi um alavancador de produtividade para as operações ferroviárias. A AC44 contribuiu fortemente para o aumento do volume de carga transportada no país, especialmente grãos e minérios, suportando os recordes históricos de produção brasileira e, consequentemente, as exportações”, relata Danilo Miyasato, presidente e CEO da Wabtec para a América Latina.  

João Alberto Abreu, presidente da Rumo, esteve presente no evento e também falou sobre o modelo de locomotiva da Wabtec, dizendo que a máquina foi fundamental para a operação com trens de 120 vagões iniciada este ano (até então as composições eram formadas por 80 vagões), no fluxo de exportação entre Mato Grosso (Malha Norte) e Porto de Santos:  

“É um orgulho receber a 500ª locomotiva AC44 da Wabtec. Esta máquina foi fundamental para a nossa empresa elevar a eficiência operacional registrada nos últimos cinco anos. Além de ser confiável, a locomotiva garante o cumprimento das nossas metas de sustentabilidade, como as reduções de consumo e de emissões”, completou. 

A Wabtec destacou também no evento uma locomotiva da MRS pintada com a identidade visual do processo de renovação da concessão da empresa que, segundo o ministro, deve ser encaminhado ao TCU em breve. “Construímos o plano de investimentos da MRS a várias mãos, e várias delas estavam aqui hoje. Todos nós, em especial, MRS, Minfra e ANTT, estamos trabalhando para saltarmos, dos atuais 15%, para 36% a participação da ferrovia na matriz logística brasileira, alavancando, cada vez mais o transporte de carga geral pela nossa malha”, destacou Gustavo Bambini, diretor de Relações Institucionais da MRS.  

Tarcísio de Freitas ressaltou a questão do Marco Legal das Ferrovias (PLS 261/2018): “Se a gente conseguir trabalhar com autorizações, várias ferrovias vão nascer”. O projeto, sob relatoria do senador Jean Paul Prates (PT-RN), ainda não tem prazo para votação no Senado.  

3 Comentários

  1. Seria interessante a RF estratificar os compradores e os anos das entregas destas maquinas. A maior parte destas foi adquirida pela MRS, e os outros compradores??

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*