Captação de cargas

Rumo planeja novos terminais para ampliar a movimentação agrícola na Malha Central 

Depois de inaugurar os terminais de São Simão e Rio Verde, ambos em Goiás, a Rumo planeja novas estruturas de transbordo e armazenagem em outras regiões. O objetivo é ampliar o volume de carga transportada na Malha Central (trecho da Ferrovia Norte-Sul entre Porto Nacional-TO a Estrela D’Oeste-SP), que hoje gira em torno de 400 mil toneladas de grãos/mês, segundo dados da ANTT.

O Sul de Tocantins será o destino do próximo terminal a ser anunciado pela operadora, afirma o diretor comercial de grãos das Operações Norte e Central, Altamir Perottoni. Ele não revela a cidade, mas a ideia é atender à demanda agrícola de regiões próximas a Gurupi, Figueirópolis e Alvorada. “Queremos fincar uma bandeira da Rumo no estado do Tocantins”, diz o executivo. O Norte de Goiás, precisamente a cidade de Uruaçu, também deverá ser contemplada com um novo ponto de captação de cargas, que vão desde grãos, milho e farelo até minérios, como bauxita.

“Temos projetos avançados com parceiros e clientes, para viabilizar esses terminais. Obviamente, estamos sempre olhando os projetos ferroviários e ali é um ponto importante. No Norte de Goiás, temos, em Mara Rosa, a conexão da Malha Central com a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico). No Sul de Tocantins, em Figueirópolis, teremos a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). A posição dos nossos terminais leva em conta a demanda, onde está a produção e o escoamento, mas também a logística”, ressalta Altamir.

Você precisa ser assinante da Revista Ferroviária para ler este conteúdo. Por favor, faça o seu . Não é assinante? Assine aqui

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*