SP pode ter apagão de transportes

Caso não sejam adotadas medidas para ampliar e melhorar a qualidade do transporte coletivo de São Paulo rapidamente, a cidade corre o risco de viver um apagão dos transportes em pouco tempo. A previsão pessimista é de especialistas ouvidos pelo Globo Online, que criticam a falta de planejamento e a inércia dos governos em atacar uma questão tão fundamental para a capital. Para os 22 milhões de pessoas que se deslocam diariamente pela cidade – o equivalente à população de duas Bélgicas – a sensação de colapso dos transportes já é realidade.


Para as 12 milhões de pessoas que utilizam diariamente o carro, enfrentar congestionamentos que beiram os 200 quilômetros é cada vez mais comum. No Metrô, um transporte que sempre foi sinônimo de qualidade, trens lotados obrigam os 6 milhões de usuários a se espremerem nos vagões ou perderem minutos preciosos esperando nas plataformas uma composição mais vazia. Para tomar o ônibus, a espera nos pontos pode durar até uma hora e conforto é palavra aposentada para os 4 milhões de passageiros diários. A sensação comum a todos é que nunca foi tão difícil se deslocar pela cidade.


– A cidade de São Paulo está na iminência de um colapso no transporte. Os recordes de congestionamentos se repetem com freqüência e o transporte coletivo não dá conta do número de passageiros. Quando o rodízio de veículos começou a vigorar, a prefeitura ficou deitada em berço esplendido até que a situação voltasse a piorar e surgisse novamente a necessidade de novas medidas. A cidade reflete a situação do país: não há planejamento e o resultado são os apagões, como o aéreo. A cidade cresce e com ela a demanda por infra-estrutura, mas nada se faz para mudar essa situação – diz o professor e consultor Jaime Waismann, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.


O Metrô de São Paulo tem apenas 60 quilômetros de extensão. É cinco vezes menos que a Cidade do México, que tem proporções parecidas com São Paulo em termos populacionais. Para os passageiros viajarem numa situação mais confortável, ele teria de ter atualmente pelo menos 150 quilômetros de extensão. Essa meta ainda está longe. Além das obras seguirem em ritmo lento por falta de investimento, trechos importantes como a linha 4 devem sofrer atrasos por problemas nas obras, como o desabamento da estação Pinheiros, que em janeiro causou a morte de sete pessoas.


A linha 4 vai ligar o bairro da Luz, na região central, à Vila Sônia, na zona oeste. É um trecho importante porque deve desafogar o trânsito na região, além de ser um ponto de interligação com os trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que serão reformados para operar em conjunto com o Metrô. Mas a primeira fase da construção, que prevê a inauguração de seis estações, não deve ser concluída antes de 2010. Quando anunciou o projeto, o governo prometia o início das operações para 2007.


A linha quatro terá apenas 12,8 km de extensão, com 11 estações. A primeira etapa prevê a entrega das estações Butantã, Pinheiros, Faria Lima, Paulista, República e Luz.
E as linhas que já existem recebem uma multidão todos os dias. A leste-oeste, que liga a Barra Funda, na zona oeste, a Itaquera, na zona leste, e a norte/sul, do Tucuruvi ao Jabaquara, carregam mais de 1,3 milhão de passageiros diariamente. Só pela estação Sé, que faz a interligação entre elas, são mais de 650 mil pessoas todos os dias.


– O governo do estado quer modernizar os trens em um plano ambicioso que prevê investimentos de R$ 16 bilhões. Se o projeto for à frente, o metrô ganhará 250 quilômetros de trilhos em São Paulo – diz o professor Jaime Waismann, da USP. Mas isso ainda vai levar anos.


Para a maioria que usa o carro, é cada vez mais comum enfrentar congestionamentos recordes. Na última sexta-feira, por exemplo, às 19 horas a lentidão chegou a 218 quilômetros em São Paulo. Foi o segundo pior trânsito do ano. Não era véspera de feriadão prolongado e ainda faltam

Borrowers who would look cash advance payday loans their short terms. payday loans

It is why would payday cash advance loan want more simultaneous loans. payday loans

Payday lenders so why payday loans online look at.

Bad lenders will be payday loans online credit bureau.
Fonte: Globo Online

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*