A banda larga da ferrovia

Trópico oferece solução de conectividade wireless e de ampla cobertura para sistemas ferroviários

De sistemas de sinalização e de automação de locomotivas ao monitoramento de vias, passando pela interação entre as equipes. Para todas essas tecnologias e processos, conectividade integrada com aplicações inteligentes são fatores-chaves para o seu uso em plenitude. Quanto melhor e mais ampla a rede de cobertura wireless que abastece uma ferrovia em toda a sua extensão, maior será a capacidade de transmissão de dados e de comunicação entre colaboradores e soluções embarcadas nos trilhos. Quem ganha com essa eficiência e segurança são a operação e a manutenção ferroviárias.

A Trópico está engajada nessa transformação digital da ferrovia no Brasil. Com sede em Manaus (AM) e filial em Campinas (SP), a empresa tem equipe especializada no desenvolvimento dedicada a levar para o setor ferroviário a chamada rede wireless privada, já implementada pela Trópico em outros mercados, como de telecomunicação, mineração e agronegócio.

Trata-se da Solução Integrada de Conectividade e de Aplicações de Banda Larga Wireless de Ampla Cobertura, que utiliza tecnologia celular na frequência de 250 MHz e garante que toda a capacidade da rede seja voltada às necessidades da ferrovia, sem riscos de perda de dados devido ao compartilhamento da conexão com a população. Outro diferencial é a operação em frequência mais baixa, que garante um raio de cobertura que pode chegar a até 30 km, dependendo das condições do relevo.

Três estações Rádio Base 250 MHz instaladas outdoor na base da torre de transmissão

“Acreditamos que a tecnologia, por ser perfeitamente adequada às demandas do setor ferroviário e padronizada por órgãos internacionais, é a melhor escolha para a infraestrutura de conectividade das malhas, garantindo a interoperabilidade entre as concessionárias e facilitando a operação de tráfego mútuo e direito de passagem, um desafio atual”, ressalta o presidente da Trópico, Paulo Cabestré.

Em 2018, a empresa ingressou de vez no setor ferroviário ao firmar com uma concessionária de carga um projeto piloto para a instalação de estações Rádio Base 250 MHz, num trecho próximo à sede da empresa, e de terminais VSA (Vectura Smart Access) em locomotivas. O projeto englobou também o desenvolvimento de testes de comunicação, levando em conta altos volumes de dados. O objetivo é aprimorar a rede de celular da ferrovia, cuja operação e gestão dos trens são realizadas hoje por um sistema de banda estreita, o que limita a oferta de serviços e aplicações.

Solução Integrada de Conectividade e Aplicações (SICA)

Após o período de testes, a Trópico oficializou o contrato no início de 2020, para em seguida elaborar o projeto executivo. Em janeiro deste ano, a empresa entrou em campo para implantar sites e estações Rádio Base 250 MHz em toda a extensão da malha, que tem centenas de Km. A implementação está dividida em fases, incluindo a instalação física e configuração dos elementos e, numa etapa posterior, a interoperabilidade com a rede e aplicações da ferrovia. As atividades seguem em ritmo acelerado, com o plano de entregar o sistema totalmente operacional já em 2022.

Terminal Vectura Smart Access é instalado na locomotiva, sendo responsável pela comunicação entre o computador de bordo e a estação Rádio Base 250 MHz
Terminal Vectura Smart Access é instalado na locomotiva, sendo responsável pela comunicação entre o computador de bordo e a estação Rádio Base 250 MHz



“A solução de conectividade 250 MHz da Trópico trará diversos ganhos operacionais a esse projeto. Inicialmente, vai garantir comunicação banda larga em toda a ferrovia e, com isso, a gestão em tempo real de quaisquer parâmetros coletados nas locomotivas, como telemetria e dados dos computadores de bordo CBTC/PTC, aumentando a eficiência e a segurança operacional”, pontua Cabestré, destacando também que a solução poderá prover conectividade aos sistemas de comunicação com o maquinista e às ferramentas como tablets e smartphones de funcionários em locais remotos.

Deserto digital

Promover a conectividade em áreas remotas do Brasil é um dos principais objetivos da Trópico e está, segundo a empresa, em consonância com as demandas futuras das concessionárias de carga. As malhas ferroviárias do país hoje atravessam grandes regiões rurais conhecidas como “deserto digital”, onde as redes móveis públicas de comunicação, geralmente, oferecem uma cobertura deficitária ou até mesmo ausente.

“Por outro lado, todas as ferrovias precisam da conectividade para uma operação segura e otimizada e somente as redes sem fio terrestres podem atender essa demanda com a confiabilidade requerida, 24 horas por dia, faça chuva ou faça sol. Todas as malhas ferroviárias estão aptas a receber a solução de conectividade 250 MHz da Trópico e não há restrições em relação à integração com os sistemas embarcados existentes”, reforça o presidente da empresa.

Tanto os segmentos de carga quanto de passageiros (em área metropolitana ou interestadual), segundo Cabestré, estão no radar da Trópico. Para passageiros, a solução oferece o compartilhamento de infraestrutura de rede com os dados de acesso à internet dos usuários do sistema – uma facilidade, no entanto, que está a critério de clientes/ concessionárias.

Na pós-venda da Trópico estão incluídos serviços de operação assistida da rede 250 MHz e suporte, além da manutenção dos equipamentos. A operação assistida visa à transferência e consolidação de conhecimento operacional à equipe técnica/ TI da operadora.

O serviço conta com atuação dedicada do Centro de Atendimento ao Cliente da Trópico, que funciona 24 horas, sete dias na semana e durante todo o ano, compatível com uma rede de comunicação de missão crítica.

A solução contempla também o sistema de gerenciamento, que possibilita a visão georeferenciada em tempo real dos elementos da rede, tais como rádio base e terminais, apresentando alarmes e indicadores de desempenho. A Trópico já está fornecendo treinamento especializado ao novo projeto firmado no setor ferroviário, tanto na tecnologia dos produtos como nas soluções para gerenciamento e operação.

Parceria com a Wabtec

Há dois anos, começaram as primeiras conversas para viabilizar a interoperabilidade dos sistemas de sinalização e comunicação da Wabtec com a solução de conectividade desenvolvida pela Trópico para o setor ferroviário. A parceria consiste em apresentar às concessionárias uma solução completa e integrada, capaz de conectar as locomotivas ao Centro de Controle Operacional, através de uma rede de banda larga e de alta disponibilidade. “A contratação por parte da concessionária pode ser separada, mas oferecemos ao cliente a garantia de integração dos sistemas”, explica o presidente da Trópico, Paulo Cabestré. Segundo o executivo, as empresas já trabalham juntas em alguns projetos. Como se tratam de projetos complexos, a maturação é longa e envolvem provas de conceito e testes em campo, até que a solução seja considerada viável pelo cliente. “Há um acordo de parceria em andamento e vemos perspectivas promissoras, considerando a retomada dos investimentos em infraestrutura no setor ferroviário”.

Informe Publicitário

1 Trackback / Pingback

  1. A banda larga da ferrovia

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*