Segurança a custo zero

Existem cerca de 12 mil passagens em nível espalhadas pelo país, segundo a ANTT
Existem cerca de 12 mil passagens em nível espalhadas pelo país, segundo a ANTT

Grupo Boslooper desenvolve passagem em nível com sinalização ativa e possibilidade de integração a um sistema de multas por avanço de sinal

Um projeto inovador, que garante segurança à operação ferroviária e à população que vive próxima a linhas férreas no Brasil. Esse é o objetivo da PN (Passagem em Nível) Vision Computer, uma solução desenvolvida pela ConnectRail, empresa do Grupo Boslooper. Baseada num software de inteligência artificial, a tecnologia oferece sinalização ativa nos cruzamentos por meio de câmeras de vídeo, sensores doppler e semáforo de trânsito idêntico ao utilizado no modal rodoviário.

A solução já está em funcionamento em duas cidades do Paraná: em um bairro na zona periférica de capital Curitiba, e num município no interior do estado, em Jandaia do Sul. Ambas foram testadas e homologadas nos últimos 18 meses por uma concessionária de carga do Brasil, que opera na região.

O sistema funciona da seguinte forma: quando o trem se aproxima do cruzamento, sensores doppler são acionados, fazendo com que o semáforo apresente sinal vermelho, ou seja, o veículo que estiver próximo precisa parar e aguardar a composição passar. Caso o motorista avance o sinal, câmeras instaladas no local conseguem verificar a placa do veículo e as informações são enviadas diretamente para a base de dados de quem adquiriu e está operando o sistema. Para a implementação da tecnologia não são necessárias interferências ou obras na via.

Segundo Alessander Boslooper, fundador do Grupo que leva seu sobrenome, os resultados dos testes foram animadores. “Após análises dos registros do sistema (logs) realizados em forma de resumos diários durante 12 meses, que atestaram o correto funcionamento e segurança do sistema, a sinalização de trânsito rodoviário ativa foi instalada e apresenta perfeito funcionamento nestes últimos seis meses”, afirma ele.

Foco na capilaridade

A ideia agora é expandir a solução, se possível, para as cerca de 12 mil passagens em nível que existem no Brasil, segundo dados mais recentes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). As vantagens são muitas, mas a principal é a possibilidade de a tecnologia ser integrada a um sistema de multas por avanço de sinal vermelho, proporcionando receita ao munícipio, caso a PN Vision Computer seja adquirida por uma prefeitura, por exemplo.

“Nas soluções já implantadas monitoramos as possíveis receitas, e verificamos que a taxa de retorno do investimento com a compra da tecnologia pode ser inferior a um mês de funcionamento, dependendo da quantidade de infrações. Vale lembrar que todo avanço de sinal vermelho pode resultar em um possível acidente”, ressalta Alessander.

O grande diferencial do sistema comercializado pela ConnectRail, afirma seu fundador, é a instantânea visualização do estado da PN. Por meio de interface web e vídeos é possível acompanhar a passagem de trens bem como de veículos no local. O Brasil contabiliza cerca de 850 acidentes em linhas férreas por ano, segundo a ANTT. De acordo com Alessander, a solução tem potencial de impactar positivamente esse número, ou seja, proporcionar mais segurança à operação e aos motoristas que precisam atravessar a via.

“O sistema registra automaticamente inconsistências na região da PN em forma de falhas seguras. Durante toda a avaliação em cenário real não se registrou nenhum falso negativo, isto é, jamais o sistema deixou de detectar a presença de trens, demonstrando o compromisso da solução com a segurança da população local e mantendo uma disponibilidade superior a 99%”, pontua.

Com relação à manutenção, Alessander diz que os componentes do sistema são todos digitalizados, ou seja, as falhas podem ser identificadas no próprio local, o que acelera e antecipa processos de correção. Segundo ele, a solução também permite identificar automaticamente os veículos que cometem infrações de trânsito durante o fechamento da PN. “Com isso é possível também elaborar de forma automática estatísticas para melhorar o trânsito local, evitando acidentes fatais”, finaliza o empresário e especialista ferroviário.

*Conteúdo de responsabilidade do anunciante.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*