Identificação de Vagões com Inteligência Artificial

Rayson Laroca e David Menotti – Departamento de Informática, Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Alessander Cidral Boslooper* – Especialização em Engenharia Industrial 4.0, Universidade Federal do Paraná (UFPR) [email protected], [email protected], [email protected]

RESUMO: Neste trabalho, apresentamos uma solução eficiente para contagem e identificação de vagões ferroviários utilizando câmeras e inteligência artificial. Esta solução tem custo-benefício atraente e pode substituir soluções baseadas em identificação por radiofrequência (RFID). Primeiro, nós realizamos a coleta à 30 frames por segundo. Em seguida, empregamos uma metodologia baseada em deep learning, que é brevemente apresentada aqui por ser registrado pelo INPI pela UFPR, que obteve resultados impressionantes, isto é, contagem de vagões perfeita (100%) e taxa de identificação acima de 99,7% em cenários reais. 

PALAVRAS-CHAVES: Identificação de Vagões, Deep Learning, Visão Computacional. 

1. INTRODUÇÃO No transporte ferroviário, é cada vez mais comum o desenvolvimento de tecnologias ou sistemas que permitam a contagem e identificação automática de vagões durante a passagem de um trem por um ponto de controle, como uma estação ou depósito [9], [10], [13], [15], [16]. Dada a sua importância, este é um tema que vem sendo abordado na literatura científica desde os anos 90 [1], [2].

Atualmente, a maioria dos sistemas ferroviários utiliza a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) [10]. Esse método fornece resultados rápidos e precisos, mas a instalação de hardware extra em cada vagão aumenta consideravelmente os custos [14]. Por exemplo, no contexto de identificação de containers (que é muito similar ao de identificação de vagões), Verma et al. [13] afirmaram que embora containers modernos tenham espaços reservados para a instalação de leitores RFID, tais leitores não são utilizados pelas maiores transportadoras devido aos altos custos (tanto de instalação quanto de manutenção).

Você precisa ser assinante da Revista Ferroviária para ler este conteúdo. Por favor, faça o seu . Não é assinante? Assine aqui

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*