Linha 3 do Metrô revitalizará trecho Niterói-São Gonçalo

É pau, é pedra, mas não é o fim do caminho. No itinerário da tão sonhada Linha 3 do Metrô, o abandono de mais de seis anos da linha férrea ocasionou o surgimento de muitas casas que seriam fruto de invasão do leito por posseiros, o aparecimento de verdadeiros lixões e a retirada de trilhos do percurso original. O trajeto que antes era utilizado para transporte de passageiros através do trem está desativado desde 2006 e fazia ligação de Itaboraí a Niterói.


Este caminho passará por revitalização a partir de janeiro de 2013 e receberá obras que possibilitarão maior mobilidade da população que diariamente se desloca entre os municípios de Niterói e São Gonçalo, numa viagem a ser feita por metrô. O trecho que será construído terá 13 quilômetros de extensão, ligando Niterói ao Jardim Catarina, em São Gonçalo e transportará 350 mil passageiros por dia.


Hoje, o deslocamento entre as cidades de Niterói e São Gonçalo é realizado por ônibus intermunicipais. O tempo médio das viagens varia conforme as condições do trânsito, podendo chegar a uma hora. Com o metrô, a expectativa é que o percurso seja realizado em até 30 minutos, metade do tempo atual.


O Fluminense percorreu os 13 quilômetros do trecho que deverá ser inaugurado no segundo semestre de 2014 e observou a realidade deste trajeto. Ao todo serão seis grandes estações (Arariboia, Barreto, Vila Lage, Zé Garoto, Alcântara e Jardim Catarina), outros pontos de embarque estão neste itinerário, são eles: Jansen de Mello, Neves, Paraíso, Parada 40, Mauá, Antonina e Trindade.


Logo no Barreto cerca de 10 moradias ocupam o leito por onde passava o antigo trem e precisarão ser desapropriadas, depois dali, o itinerário segue até o Jardim Catarina, onde no espaço dos trilhos estão verdadeiros depósitos de lixo e entulhos.


“Costumo me deslocar de ônibus entre as duas cidades, a implantação do metrô será um benefício muito grande para a população”, disse o aposentado José Aprigio Ramos, 60 anos.


“O sonho saiu do papel”, frase usada pelo governador Sérgio Cabral para salientar a importância da obra, orçada em R$ 1,7 bilhão, traduz os anseios da população.


“O metrô ajudará muito e trará melhorias. Sabemos que um trecho será em viadutos. Acredito que a urbanização desta rota será um progresso”, acredita o aposentado Alexandre Marciano, de 69.


Muitas moradias que foram construídas de maneira irregular terão que ser desapropriadas. O cadastramento já teria sido realizado.


“Sei que terei de sair”, disse o biscateiro Decenir de Almeida, de 64.


No primeiro trecho que será construído, o projeto prevê a criação do maior terminal intermodal, onde a expectativa é atender 600 mil passageiros, por dia. Além disso, haverá restauração de uma antiga estação de trem desativada no Barreto, e ao lado dela implantado um pátio para realização de serviços de manutenção dos trens. O projeto também prevê a construção de 10 estações.


As obras têm previsão para iniciar em janeiro de 2013 e este itinerário está programado para ser concluído no segundo semestre de 2014. Cabral disse que o Governo do Estado conseguiu garantias do Governo Federal de liberação de R$ 500 milhões do Orçamento Geral da União, para a obra, além de um empréstimo de R$ 974 milhões para realizar o projeto, sendo R$ 774 milhões do BNDES e R$ 200 milhões de financiamento do Banco do Brasil.


“Eu calculo que se tudo correr bem, a linha será inaugurada no final de 2014. Isso é o que estamos estabelecendo até o momento. Não será inaugurada toda a linha, mas parte dela”, disse o governador ao participar recentemente de um evento em São Gonçalo.


Projeto – A Linha 3 começa na estação Arariboia, num projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, desenvolve-se ao longo de um trecho de 22 quilômetros, sendo 17,7 quilômetros em viadutos e 4,3 quilômetros em superfície, ligados por 14 estações, possuindo ainda um estacionamento e garagem para pequenos atendimentos e reparos no Barreto, Zona Norte, e um Centro de Manutenção, em Guaxindiba, São Gonçalo.


Segundo a Secretaria estadual de Obras, o metrô atenderá a necessidade de transporte de passageiros gerada pelos municípios atingidos, além de garantir o deslocamento intermunicipal da população dos municípios abrangidos, de cerca de 1,7 milhão de pessoas.


Calcula-se que 70% dos usuários da Linha 3 terão como destino a cidade do Rio de Janeiro, utilizando a Estação Arariboia, a maior do sistema, como estação terminal e de integração. Essa estação ficará ao lado de onde hoje encontra-se o terminal das Barcas e será construído um terminal intermodal, integrando os sistemas de metrô, barcas e ônibus municipais e intermunicipais, atendendo aproximadamente 600 mil passageiros/dia.

Borrowers who would look cash advance payday loans their short terms. payday loans

It is why would payday cash advance loan want more simultaneous loans. payday loans

Payday lenders so why payday loans online look at.

Bad lenders will be payday loans online credit bureau.
Fonte: O Fluminense

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*