Vale reverte prejuízo e tem lucro de US$ 739 milhões no 4º trimestre

Foto: Divulgação/Vale

Valor Econômico – A Vale fechou o quarto trimestre de 2020 com lucro líquido de US$ 739 milhões, revertendo prejuízo de US$ 1,562 bilhão registrado nos três últimos meses de 2019.

O resultado na última linha do balanço poderia ter sido melhor, mas foi afetado por provisões relacionadas ao rompimento da barragem da mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho, em janeiro de 2019.

O resultado acabou ficando abaixo da estimativa de US$ 4,436 bilhões para o lucro da mineradora no quarto trimestre, na compilação feita pelo Valor com prévias de cinco bancos, realizada antes do acordo fechado com as autoridades de Minas Gerais, e que levou à provisão por Brumadinho.

O Ebitda ajustado da companhia entre outubro e dezembro foi de US$ 4,24 bilhões, uma alta de 19,9% ante igual período do ano anterior, enquanto a receita líquida subiu 48,2% no mesmo período, para US$ 14,769 bilhões.

No ano, a mineradora reverteu prejuízo e fechou com ganho de US$ 4,881 bilhões, enquanto o Ebitda subiu 57%, para US$ 16,588 bilhões e a receita líquida avançou 7% para US$ 40,018 bilhões.
Em reais, a mineradora fechou 2020 com ganho de R$ 26,7 bilhões, também revertendo prejuízo de 2019. Já a receita líquida anual subiu 40,2% em 2020, para R$ 208,5 bilhões.

Brumadinho

A Vale informou que as provisões relativas ao rompimento da barragem da mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho, subiram US$ 3,74 bilhões entre outubro e dezembro do ano passado.

Segundo a empresa, o aumento das provisões relativas a Brumadinho aconteceu devido ao impacto do acordo fechado com as autoridades de Minas Gerais, no valor de R$ 19,924 bilhões (US$ 3,872 bilhões), dos quais R$ 5,4 bilhões (US$ 1,039 bilhões) serão liquidados com a liberação dos depósitos judiciais, com efeito líquido sobre as provisões, após a dedução dos pagamentos e ajustes de valor presente e câmbio, de R$ 14,113 bilhões (US$ 2,817 bilhões).

Além disso, houve uma provisão adicional de US$ 617 milhões relativa à descaracterização de barragens, refletindo ajustes no projeto e obras de melhoria de segurança. A provisão adicional inclui as mudanças nas estruturas de contenção planejadas e a evolução da engenharia do processo, informou a mineradora.

Houve ainda a reavaliação dos trabalhos de geotecnia, contenção e remoção de rejeitos no site e a prorrogação até fevereiro de 2021 dos pagamentos de ajuda emergencial aos atingidos pela ruptura da barragem, o que significou outros US$ 237 milhões provisionados.

Preço médio para finos de minério

O preço médio realizado pela Vale na venda de finos de minério de ferro no quarto trimestre ficou em US$ 130,7 por tonelada, uma alta de 16,6% ante os US$ 112,1 por tonelada do terceiro trimestre e um avanço de 56,5% na comparação com os US$ 83,5 por tonelada do quarto trimestre de 2019.

Segundo a empresa, o avanço do preço do minério vendido por ela foi decorrência da alta do preço de referência para o minério com teor de 62% de ferro e ao efeito positivo de mecanismos de preços. Os dois fatores, segundo a Vale, compensaram a redução dos prêmios de qualidade na comparação com o terceiro trimestre.

Em 2020, na média, o preço realizado pela empresa foi de US$ 107,4, 23,3% acima dos US$ 87,1 por tonelada de 2019.

Fonte: https://valor.globo.com/empresas/noticia/2021/02/25/vale-reverte-prejuizo-e-tem-lucro-de-us-739-milhoes-no-4o-trimestre.ghtml

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*