A caminho do Brasil

Desguarnecedora de lastro da Matisa chegará ao país em abril para operar na MRS

A máquina embarcou no início de fevereiro
A máquina embarcou
no início de fevereiro

O primeiro módulo de uma desguarnecedora de lastro de 75 metros de comprimento, fabricada pela suíça Matisa, embarcou da Europa em direção ao Porto do Rio de Janeiro, no início de fevereiro. A máquina, cujos módulos serão enviados por etapas, deve estar completa no Brasil no próximo mês de abril, quando será montada na linha da MRS. A concessionária iniciou em 2020 a compra de um pacote de equipamentos de manutenção e renovação de via (estima-se que em torno de 20), como uma antecipação dos investimentos previstos na renovação antecipada de seu contrato de concessão, em análise no Tribunal de Contas da União.

A desguarnecedora, responsável pela substituição de lastro e peneiramento de via, é a primeira da Matisa a operar em uma ferrovia brasileira. O modelo da MRS é o C75-2C, que difere das tradicionais desguarnecedoras de 37 metros presentes no portfólio da companhia e comuns em malhas ferroviárias da Europa. “Essa máquina que embarcou para o Brasil tem mais que o dobro de tamanho do nosso modelo padrão. Sua principal característica é a alta produtividade por ter duas peneiras”, explica Bruno Bonella, diretor da filial da Matisa no Brasil.

Você precisa ser assinante da Revista Ferroviária para ler este conteúdo. Por favor, faça o seu . Não é assinante? Assine aqui

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*