Com 15 anos, Linha 5-Lilás do Metrô ainda não está diretamente ligada à rede

A Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo, que completa nesta
sexta-feira (20) 15 anos de funcionamento, é a única que ainda não está
diretamente ligada à rede – é a única que ainda é isolada, não tendo ligação com
nenhuma outra do Metrô. Ela, porém, faz ligação com uma estação da Companhia
Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

A integração da linha com a CPTM foi em 2002, quando o
governo do Estado de São Paulo entregou os trilhos que ligam o Capão Redondo, na
Zona Sul de São Paulo, ao Largo 13, na região de Santo Amaro, também na Zona
Sul de São Paulo.

A expansão rumo ao Metrô começou em 2009 e, em 2014, a
estação Adolfo Pinheiro foi entregue. 3 anos se passaram e, em agosto, outras
três estações entraram em operação, mas com horário restrito. Ainda estão em
teste as estações Alto da Boa Vista, Borga Gato e Brooklin.

O governo estadual promete entregar até o início de 2018 o
restante da linha que, assim, terá a ligação com o sistema do Metrô. Ela vai se
ligar à linha Azul, na estação Santa Cruz, e com a linha Verde, na Chácara
Klabin.

A placa da obra da estação Santa Cruz, da linha 5-Lilás, não
diz quando ela vai ficar pronta. Mas o governo do estado garante que será em
dezembro de 2017.

“Nós estamos trabalhando fortemente, cobrando nossos
fornecedores, pra que a gente possa cumprir as metas”, diz o secretário de
Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni.

A reportagem não teve autorização do Metrô para entrar na
obra. Mas é no local há máquinas e funcionários trabalhando, ainda faltando o
acabamento. As pessoas que circulam na região, porém, desconfiam que a obra não
fique pronta no prazo.

Isso porque as obras do primeiro trecho da linha Lilás
começaram em 1998. Quem pagou o serviço foi a CPTM, mas a linha acabou virando
do Metrô. O trecho de 9,4 km, entre o Capão Redondo e o Largo 13, ficou pronto
em 2002.

A Linha Lilás voltou a ser notícia em 2008, quando se
começaram as desapropriações para as obras de expansão. Os operários iniciaram
os trabalhos em 2009 e, só em 2014, a primeira estação foi entregue: a Adolfo
Pinheiro.

O governo do estado precisou de mais 3 anos para inaugurar
outras três estações, em agosto de 2017. Mas, 8 anos após o início, as obras da
expansão da linha Lilás ainda não acabaram.

Na estação AACD- Hospital dos Servidores, há funcionários
trabalhando em obras. Os frequentadores da região esperam que a estação fique
pronta logo.

O governo do estado quer conceder a Linha Lilás à iniciativa
privada. O Tribunal de Contas do Estado suspendeu o edital. O governo respondeu
aos questionamentos do TCE e, agora, espera a liberação para a fazer a
licitação.

 

Leia também: CPTM
empurra obra de acessibilidade para 2020

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*