Nova edição da RF está no site

A Revista Ferroviária acaba de colocar no ar mais uma edição. A matéria de capa fala sobre como o modelo de partilha de riscos entre público e privado em contratos de concessão de sistemas metroferroviários de passageiros foi fundamental para manter o transporte durante a pandemia. Fizemos uma raio x dos modelos de operação privada existentes no país, para explicar porque o caso do Rio de Janeiro (cujos sistemas estão asfixiados financeiramente) se contrapõe aos de São Paulo e Salvador.

Entrevista especial é com o diretor de Mobilidade Urbana do Grupo CCR, Luís Valença, que detalha os planos com a recém-aquisição das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da CPTM. O grupo, que já opera as linhas 4-Amarela e 5-Lilás do Metrô de São Paulo, o VLT Carioca, no Rio de Janeiro, e o Metrô de Salvador, na Bahia, adicionou 73 km de linhas ao seu portfólio, ocupando a confortável posição de maior operadora privada de trens de passageiros do Brasil.

reportagem da edição é sobre os investimentos da Vale pós-renovação dos contratos da EFVM e da EFC. O que já começou a ser feito, o montante a ser investido em material rodante e a expectativa para o início das obras da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico). A matéria traz uma entrevista exclusiva com o  vice-presidente executivo de Relações Institucionais e Comunicações da Vale, Luiz Eduardo Osorio, e a gerente-executiva de Regulatório da companhia, Daniella Barros.

Na seção Gente, o currículo rico em especializações ferroviárias do novo diretor geral da ANTT, Rafael Vitale Rodrigues. Em Gente que faz diferença, Ronaldo Pereira Lacerda, supervisor de Manutenção do Metrô de SP, João Carlos Medeiros Rodrigues, supervisor de Manutenção da FTL, e Antunes Marcelino Andrade dos Reis, coordenador de Produção da Cavan, falam sobre a relação com a ferrovia.

Em Expressas, um pouco sobre o Plano Estratégico Ferroviário de Minas Gerais (PEF-MG), elaborado pela Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra-MG) em parceria com a ANTF e a Fundação Dom Cabral. Entre os objetivos está a reativação dos trechos sem operação no estado. Falamos também sobre os planos do Ministério da Infraestrutura para acelerar a aprovação do novo regime de autorizações de ferrovias e o que está sendo pensado para o uso da outorga com a renovação antecipada do contrato de concessão da FCA.

O Estudo de Mercado dessa edição é o levantamento Todos os Equipamentos de Via. Em Suprimentos, as inovações dos fabricantes para aumentar a segurança e a precisão na manutenção ferroviária. Em Nota Técnica, o artigo vencedor da categoria 03 do 7º Prêmio Tecnologia & Desenvolvimento Metroferroviários CBTU-ANPTrilhos, intitulado “Inovação na mobilidade de pessoas com deficiência visual no Metrô de São Paulo”. A autoria é de Jaldomir da Silva Filho e Eliete Mariani, ambos do Metrô de São Paulo.

O Artigo é com a chefe de Governança e Controle Interno do Metrô-DF, Roberta Alves de Castro, falando sobre “O caminho para implantação do ESG no setor ferroviário”. Em Estatísticas, os números de movimentação na Rumo Malha Central, cujo primeiro trecho (São Simão-GO a Estrela D’Oeste-SP) foi inaugurado em março deste ano.

Na Foto do Mês, a locomotiva AC44 número 500 produzida pela Wabtec no Brasil, entregue para a Rumo no último dia 12 de julho. No Sumário, a foto de um trecho da Malha Paulista, entre Salto e Mairinque, que ainda preserva o letreiro da antiga Fepasa, reformado em 2017 por um grupo de voluntários apaixonados por ferrovia. No Arquivo Ferroviário, uma imagem do Trem Republicano, que, como o nome já diz, remete ao período que antecedeu a Proclamação da República, em 1889. O trem turístico, inaugurado em dezembro de 2020, percorre um trecho de 7,6 km entre as cidades paulistas de Itu e Salto.

Clique aqui para ler a edição.

Clique aqui para fazer a sua assinatura.

Os assinantes receberão o exemplar impresso nos próximos dias.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*